Saúde

A dias do Carnaval, Tamandaré é alertada sobre violência sexual contra as meninas

Garota-Descalca

Ações são da Campanha “Quanto Custa?”, que chama a atenção para o tema no Brasil
Tamandaré, 01 de fevereiro de 2016 – Na próxima sexta-feira (05/02), a cidade de Tamandaré receberá ações da campanha “Quanto Custa a violência sexual contra meninas?”, realizada pela Plan International Brasil com apoio da Prefeitura de Tamandaré, para conscientizar sobre o tema a poucos dias do Carnaval. No último domingo (31/01) , uma equipe técnica do CRAS & CREAS, da Secretaria da Assistência Social e Secretaria de Turismo, organizações parceiras das ações, abordaram banhistas e traseuntes na orla marítima da região. Nesta sexta-feira (05/02) será a vez dos motoristas em uma Blitz Educativa.

A ação no dia 05/02 acontecerá das 16h às 18h na entrada principal da cidade com distribuição de cartilhas da campanha, com informações sobre abuso e violência sexual no Brasil e como denunciar.

A distribuição da cartilha está acontecendo em diversas cidades do Brasil como ação da campanha “Quanto Custa a Violência Sexual contra as Meninas?”, promovida pela Plan International Brasil, organização humanitária internacional pelos direitos da criança e do adolescente, que faz um alerta para o País. “A maioria dos estupros não é cometida por desconhecidos na rua. Por aqui, os abusos geralmente acontecem dentro de casa e são realizados por conhecidos das meninas. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mais da metade dos casos acontece com meninas menores de 13 anos”, afirma Anette Trompeter, diretora nacional da organização.

A campanha “Quanto Custa a Violência Sexual contra as Meninas?” pretende promover e qualificar o debate sobre a violência sexual contra as meninas que já chega a mais de meio milhão de casos por ano no Brasil. Para isso, além de peças de comunicação e ações em mídias sociais, conta com uma rede de organizações de todos os setores na realização de iniciativas pelo Brasil, desde a exibição do filme India’s Daughter (Filha da Índia) e debates sobre a violência sexual contra meninas, passando pela elaboração de materiais informativos sobre a identificação de abuso e violência sexual, como denunciar estes crimes e procurar a rede de atendimento para meninas que sofreram este tipo de violação. Mais informações sobre a campanha na página do Facebook. O estupro é considerado um dos crimes menos notificados do Brasil, apesar de ser tratado como hediondo pela justiça. Cerca de 50 mil casos de estupro são denunciados todos os anos no Brasil, mas estima-se que isso represente menos de 10% do total de casos. Aquelas que passam por essa situação deixam de denunciar com medo de represálias, com vergonha de se expor, e até mesmo com receio de serem culpadas ou tachadas pela violência sofrida.

O cenário é ainda pior quando se considera o universo infantil. Uma série de situações previstas como crime no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em que adultos se aproveitam da fragilidade das crianças para ter satisfação sexual, não é entendida da mesma forma por parte da população.

AÇÃO “QUANTO CUSTA?” PRÉ-CARNAVAL
Quando: 05/02, sexta-feira, das 16h às 18h.
Onde: Na entrada principal da cidade.

Sobre a Plan
A Plan International é uma organização não-governamental de origem inglesa ativa há 76 anos e presente em 70 países. No Brasil desde 1997, a Plan possui, hoje, mais de 20 projetos que atendem, aproximadamente, 75 mil crianças e adolescentes. Sem qualquer vinculação política ou religiosa e sem fins lucrativos, está voltada para a defesa dos direitos da infância, conforme expressos na Convenção dos Direitos da Criança, da Organização das Nações Unidas. Assim sendo, a organização trabalha em prol da proteção e contra a violência e abusos de todo tipo, contra a pobreza, a desigualdade e a degradação do meio ambiente e por uma boa alimentação, saúde e educação. A Plan parte do princípio de que assegurar o direito de crianças e adolescentes é um dever e não uma escolha. Para isso, capacita as comunidades a fazer valer esses direitos. Mais informações sobre a Plan Brasil em www.plan.org.br.

Clique para comentar

Comente o que achou deste artigo

Topo